FANDOM


{{{Conceição (Horta)}}}
Gentílico {Predefinição:Conceiçonense, hortense
Eleitores }} (2009)
Localizacao Predefinição:! colspan="2" style="text-align: center;" Predefinição:!
[[Imagem:{{{localizacao}}}|300px|Localização]]

Predefinição:!- Predefinição:! colspan="2" style="text-align: center;" Predefinição:! Localização no município de {{{Município}}} }}

Fundação 30 de julho de 1568
Orago
Endereço

A Matriz da Horta é uma freguesia da cidade da Horta, município do mesmo nome, na Ilha do Faial, Açores. Ocupa uma superfície total de 1,62 Km2 com 2 523 habitantes (Censos 2001). Tem uma densidade populacional de 1 557,4 hab./Km2. A freguesia conta com 1 904 eleitores inscritos (Autárquicas 2005). É nela que se situa o centro administrativo da cidade da Horta.

Sua História Editar

Josh de Utra, 2.º Capitão-do-donatário da Ilha do Faial e Pico, fixou residência no local onde hoje existe o antigo Colégio dos Jesuítas. Em 1498, Horta é elevada à categoria de vila e sede de município por D. Manuel I. A primitiva Matriz Igreja do Santíssimo Salvador, localizava-se onde hoje existe a Torre do Relógio. Foi concluída e aberta ao culto em 28 de Junho de 1514. O seu orago, Santíssimo Salvador, é o mesmo da cidade de Bruges, Flandres, e da Angra do Heroísmo (cidade).

O edifício primitivo da Câmara Municipal, Tribunal e Cadeia da Comarca, situava-se na Rua do Bom Jesus, onde funcionou até 1632. Depois seriam instalados na esquina da atual Rua Avelar Nunes com a Alameda do Barão de Roches. Na segunda metade do Século XIX, a Câmara Municipal e o Tribunal foram instalados no antigo Colégio dos Jesuítas.

A 30 de Julho de 1568, é criada a freguesia de N. Sra. da Conceição. Corsários ingleses saquearam as igrejas e conventos em 1589, e novamente, em 1597. Em 1643, a freguesia já contava com 1 985 habitantes distribuídos por 449 fogos. (Espelho Cristalino, Diogo das Chagas, pág. 478) É criada a freguesia de N. Sra. das Angústias a 28 de novembro de 1684.

O património arquitetónico existente na cidade é essencialmente de natureza religiosa, sendo o mais importante o Colégio dos Jesuítas. Foi mandado construir por Francisco de Utra de Quadros, Capitão-mor do Faial, e sua mulher, Isabel da Silveira. Falecido a 1652 e sem descendentes, doa em testamento todos os seus bens - incluindo o Solar dos Utras - para fundação do Colégio. Lançamento da 1.ª pedra da igreja, ocorreu a 21 de outubro de 1652, mas a sua construção só inicia-se em 1680. O edifico do Colégio começou a ser construído em 1719, mas não chegaria a ser acabado, devido à expulsão dos padres jesuítas em 1 de agosto de 1760.

A primitiva Igreja do Santíssimo Salvador da Horta foi aberta ao culto em 28 de junho de 1514. Foi saqueada e incendiada pelos corsários ingleses em 1589, e novamente, em 1597. Iniciou-se a sua reconstrução em 1607. Foi reaberta ao culto a 20 de Dezembro de 1615. No antigo Hospital Walter Bensaúde, que pertenceu à Santa Casa da Misericórdia, é atualmente as instalações do Departamento de Oceanografia e Pescas (DOP) da Universidade dos Açores (UAç). A Torre do Relógio, torre sineira seiscentista com um relógio de 1700, foi adicionada à primitiva Igreja Matriz. A Igreja do Colégio tornou-se na Igreja Matriz em 30 de outubro de 1825, por substituição da primitiva igreja devido ao seu adiantado estado de degradação. Junto fica o Jardim Florêncio Terra, local onde existiu o Convento da Ordem de Santa Clara de advogação a São João Batista, vulgo Convento de São João. Foi sido fundado por volta de 1538, por Diogo de Roiz da Costa, "fronteiro de Arzila, onde casou, e tem dois filhos clérigos e meteu ali as suas filhas freiras." Francisca Corte Real, filha do 2.º Capitão-do-Donatário, em seu testamento datado de 20 de dezembro de 1538, fez-lhe uma doação de 2 mil reis.

O Império dos Nobres, oficialmente chamado Império de Reconhecimento e Beneficiencia, em memória da erupção do Vulcão do Cabeço do Fogo, em 24 de Abril de 1672, é a primeira construção deste tipo em alvenaria a ser feita nos Açores para o Culto ao Divino Espírito Santo. Por deliberação da Câmara Municipal de 5 de Janeiro de 1759, se adquiriu um terreno para sua construção. A sua construção foi concluída no ano seguinte, em 1760.

O já desaparecido Convento de N. Sra. da Glória, foi fundado por Catarina de Utra Corte Real, filha de Manuel de Utra Corte Real, 3.º Capitão-do-donatário. Em 9 de janeiro de 1608, fez doação dos terrenos para a sua construção. A direção da obra foi feita por um seu parente, Estácio de Utra Machado. No seu lugar, existe atualmente o jardim da Praça da República.

A construção da igreja do Convento de N. Sra. do Carmo teve início em 1698, sendo só concluída em 1797. O Duque de Ávila e Bolama, por Portaria de 7 de julho de 1835, consegue que o convento fosse doado à Ordem Terceira do Carmo, e que nele fosse instalado um aquartelamento tropas. Em resultado do sismo de 31 de agosto de 1926, o convento foi demolido na sua quase totalidade, restando apenas a grande cisterna, uma parte do claustro e a Igreja de N. Sra. do Carmo.

O primitivo Convento de São Francisco foi fundado em 1522. Foi incendiado pelos corsários ingleses em 1597. Reconstruído em 1609, seria novamente destruído por um violento temporal, 60 anos depois.

O atual Convento de São Francisco foi construído em 1696 e sua igreja aberta ao culto em 12 de novembro de 1700. Em 1696, inicia-se a reconstrução do convento no atual local. Com a extinção das Ordens Religiosas, foi doado em 1835 à Santa Casa da Misericórdia. Nele foi instalado o Hospital da Santa Casa da Misericórdia e o Asilo da Mendicidade. Em 1899, o convento foi destruído completamente num incêndio, salvando-se a muito custo a sua igreja - Igreja de N. Sra. do Rosário. O Colégio de Santo António, onde hoje funciona o Jardim de Infância de Santo António, foi fundado a 28 de dezembro de 1858.

Monumentos e Museus Editar

O Colégio dos Jesuítas começou a ser construído em 1680, Jerónimo de Utra Quadros. É um dos templos de maiores dimensões existente nos Açores. A construção da Igreja do Colégio consagrada a N. Sra. dos Prazeres, atual igreja Matriz do Santíssimo Salvador da Horta, teve início em 1719. Embora tenha a obra ficado incompleta devido à expulsão dos padres jesuítas dos Açores, em 1760, é de admirar as capelas laterais de São Paulo, de Nossa Senhora e a do Santíssimo pelas suas relíquias, e ainda a sacristia, pelo arcaz de jarancadá com puxadores de prata. Em 1825, tornou-se na Igreja Matriz do Santíssimo Salvador quando o anterior templo, deixou de oferecer condições de segurança para o culto, tendo sido posteriormente demolido.

No edifício, encontram-se instalados a Câmara Municipal da Horta e o Museu Regional da Horta. No largo fronteiro, encontra-se a Estátua do Duque de Ávila e Bolama. Bem próximo, situa-se a moderna Biblioteca Pública e Arquivo Regional da Horta (BPARH), instalada na antiga Casa Grande Bensaúde, obra inaugurada a 23 de abril de 2008.

Existe ainda a Igreja de N. Sra. do Carmo, em cujas dependências anexas se pretende instalar o Museu de Arte Sacra. Destaque ainda para o Império dos Nobres (). No edifício do antigo Hospital da Santa Casa de Misericórdia, será instalado o Departamento de Oceanografia e Pescas (DOP) da Universidade dos Açores.

Merece uma referência aos jardins e espaços verdes emblemáticos existentes na freguesia: Largo Duque de Ávila e Bolama, Praça da República (onde existiu o Convento e Igreja de N. Sra. da Glória) e o Jardim Florêncio Terra (onde existiu o Convento de São João). Têm ainda a Torre do Relógio (século XVIII) da primitiva Igreja Matriz, o ex-líbris da freguesia. Possui ainda de vários miradouros para desfrutar vistas panorâmicas: o miradouro do Monte Carneiro - junto deste ficava as Baterias Anti-aéreas da II Guerra Mundial, o miradouro do Carmo e o miradouro do Salto da Ribeira - que oferece um belo panorama do Salto da Ribeira e da Lomba da Espalamaca.

As coletividades com sede na freguesia, destaque para a coletividades recreativas, musicais e culturais fundadas pelo movimento maçónico na segunda metade do Século XIX: a Sociedade Filarmónica Artista Faialense, a 22 de fevereiro de 1858; a Sociedade Amor da Pátria, fundada a 28 de novembro de 1859 e o Grémio Literário Artista Faialense, fundado a 1 de janeiro de 1878, inauguração da sua nova sede 25 de maio de 2008. O Teatro Faialense foi inicialmente inaugurado em 16 de agosto de 1856, embora o atual edifício foi construído em 1916.

O Teatro Faialense se manteve na posse da família do seu fundador, João de Bettencourt Vasconcelos Correia e Ávila, até 1995. Foi classificado como Imóvel de Interesse Público. (Resolução n.º 152/89, de 5 de dezembro, publicado no Jornal Oficial, I.ª Série, n.º 49) Encontrando-se em avançado estado de degradação foi adquirido pela Câmara Municipal da Horta. Esteve encerrado para obras durante seis anos, tendo reaberto ao público a 6 de junho de 2003 completamente restaurado. Atualmente, é um dos mais importante espaços culturais da cidade.

Associação de Bombeiros Voluntários Faialenses foi fundada a 16 de maio de 1912. O Sporting Clube da Horta, fundado 8 de junho de 1925, com destaque paras modalidades de futebol, esgrima e andebol. O seu campo de futebol foi inaugurado a 31 de agosto de 1931, num terreno cedido ao clube junto às Pedreiras da Doca, na freguesia das Angústias.

Tradições, Festas e Curiosidades Editar

Dia da Freguesia (8 de março), Dia da Cidade (7 de julho), Festa do Santíssimo Salvador (Epifánia), Festa do Corpo e Sangue de Deus, Império dos Nobres (no Domingo de Pentecostes), Dia da Região Autónoma, Festa de N. Sra. do Carmo, Semana do Mar (em agosto), Festa de Santa Cecília, Feriado Municipal (24 de junho)

Economia Editar

Na freguesia predomina a prestação de serviços, pequeno comércio e a restauração. É sede do Camara Municipal, da Assembleia Municipal e de diversos espaços culturais (Biblioteca Municipal e Arquivo Histórico, Museu Regional da Horta, Teatro Faialense). A freguesia enfrenta o problema da desertificação do centro histórico e degradação de alguns de seus edifícios.

Política Editar

A freguesia da Matriz da Horta conta com 1 912 eleitores inscritos (Legislativas Regionais 2008). Apenas votaram 860 eleitores, ou seja, 44,98%. O PPD-PSD obteve 316 (36,74% ), o PS obteve 292 votos ( 33,95% ), a CDU obteve 111 ( 12,91% ), o CDS-PP obteve 48 ( 5,58% ), o BE obteve 44 voto ( 5,12% ) e o PPM obteve 5 voto ( 0,58% ).

Ligações Externas Editar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.